Google+ Badge

quinta-feira, 18 de julho de 2013

PITANGA

_________________________________________________________________________________



 Nomes Populares: Pitanga, pitangueira, pitangueira-vermelha, pitanga-roxa, pitanga-branca, pitanga-rósea, pitanga-do-mato. Nome Técnico: (Eugenia uniflora L.), pertence à família botânica das Myrtaceae.
 _________________________________________________________________________________
Características Morfológicas: A altura da árvore varia entre 6 e 12 metros; é dotada de copa em estilo piramidal. Possui tronco tortuoso e um pouco sulcado, com diâmetro entre 30 e 50 cm, possui casca descamante em placas irregulares. Suas folhas são simples, o comprimento de 1 a 3 cm de largura. Apresenta flores solitárias ou em grupos, nas extremidades dos ramos.
A pitanga, fruto da pitangueira, é uma planta frutífera nativa do Brasil, da Argentina e do Uruguai, é uma fruta arredondada, que mede de 2 a 3 cm. O seu nome vem da palavra tupi que significa "vermelho-escuro". Frutifica de outubro a janeiro, e existe uma grande variação na coloração da fruta, indo do laranja, passando pelo vermelho, roxo, ou quase preto. No Brasil, a região nordeste é a única a explorar comercialmente esta fruta de alto potencial econômico.
 As folhas da pitangueira têm conhecidas atividades terapêuticas, sendo usadas no tratamento de diversas enfermidades, como febre, doenças estomacais, hipertensão, obesidade, reumatismo, bronquite e doenças cardiovasculares; tem ainda ação calmante e diurética. As folhas pequenas e verde-escuras, quando amassadas, exalam um forte aroma característico. As flores são brancas e pequenas, tendo utilidade melífera (apreciada por abelhas na fabricação do mel).
Pesquisas mostram que o conteúdo de fitoquímicos é maior em pitangas maduras do que semi-maduras e estes compostos de uma maneira geral estão concentrados na película da fruta, ou seja, na casca, sendo encontrados em menores concentrações na polpa. Isto não chega a ser um problema já que, geralmente, é consumida sem a retirada da fina casca que protege a polpa. 
A pitanga, com a grande quantidade de cálcio, fósforo, ferro, vitaminas A e C, que carrega e indica seu elevado poder antioxidante, faz dela uma poderosa aliada para os ossos, ajudando a prevenir doenças como osteoporose.
A vitamina A presente na pitanga é capaz de neutralizar a ação de radicais livres, tendo uma ação antiinflamatória e regenerativa, melhorando a consistência e a elasticidade da pele. Também é muito eficiente no controle de rugas e proliferação de acne.
Trata-se de uma fruta muito apreciada e a sua polpa é agridoce e perfumada. Da sua polpa se obtém geleias, vinhos, doces, sucos e licores. A pitanga se adapta em climas quente e úmido. Não é produzida comercialmente porque quando o fruto fica maduro, fica muito tenro e danifica-se facilmente com o transporte.
Desenvolve-se bem em locais de clima quente e úmido com boa distribuição de chuvas durante o ano e umidade do ar em torno de 80%. A planta é bastante sensível ao frio e nem suporta geada. Deve-se dar preferência a solos férteis, profundos e bem drenados com topografia favorável ao seu cultivo. Não é exigente quanto ao solo de alta fertilidade. A propagação pode ser por sementes e enxertia.
Para os plantios comerciais recomenda-se o método de propagação vegetativa, através da enxertia. Este método é indicado para obtenção de mudas que permitem assegurar uniformidade de plantas, precocidade de produção, produtividade e qualidade de frutos. A poda deverá ser feita próximo ao tronco visando à eliminação de ramos laterais e devem ser feitas no primeiro ano de plantio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário