Google+ Badge

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

LIMÃO


O limão tem sua origem na Ásia - como a maioria dos frutos cítricos - entre a Índia e o Himalaia. Acredita-se que foi levado pelos Árabes para a Europa, chegando à Espanha no início da Idade Média. Alguns afirmam que os gregos e romanos não conheciam o fruto. Entretanto, parece haver indícios de que os romanos já usavam o limão como medicamento antes dele chegar à Europa, com os árabes.
No auge das grandes navegações, no século XVI, chegou às Américas pelas mãos de portugueses e espanhóis. Tornou-se popular no Brasil quando o país foi atingido pela Gripe Espanhola, em 1918. Com a dificuldade de acesso a remédios, especialmente pela população carente, o limão era um recurso natural contra a gripe e por isso era vendido a preços altíssimos.
Esse fruto do limoeiro é chamado cientificamente de Citrus limon. Seu nome vem do persa limú ou laimún. A palavra latim citrus, embora englobe as plantas da família Rutácea - como laranja e lima - é também usada como sinônimo de limão.
Pelo mundo, o nome do fruto aparece em muitas línguas como derivado da designação científica, com o lemon do inglês, limón ou citrón do espanhol, citron em francês e dinamarquês, limon em turco, limone em italiano, limona em esloveno, cytrina em polonês e zitrone em alemão.
Tem cerca de 70 variedades, as mais conhecidas no Brasil, são o limão-galego, limão-cravo, limão-siciliano e limão-taiti. Esse último é a espécie com maior valor comercial. O limão-taiti é um fruto híbrido da lima da Pérsia com o limão-cravo, sem sementes.


Por ser rico em vitamina C e ácido cítrico, o limão estimula a absorção do ferro pelo organismo, se consumido na mesma refeição. O fruto ainda ajuda a estimular o sistema imunológico, e tem efeito bactericida e antibiótico. O limão pode trazer muitos benefícios à saúde. Existe no fruto uma substância chamada d-limoneno, princípio ativo também presente em sua casca, que ajuda no combate à ansiedade, à depressão, ao câncer, além de dissolver cálculos renais e desentupir artérias.
Há mais de cinco anos estudos apontaram a possibilidade de o limão ser utilizado para destruir o HIV, o que tem levado a testes para o desenvolvimento de uma solução à base do fruto. A medicina reconhece os benefícios do limão utilizando-o na prevenção e tratamento de diversas doenças.
A fruta foi um importante aliado da humanidade em épocas de difíceis doenças. Além da gripe espanhola, ele teve atuação fundamental em 1742, quando era enviado aos navios ingleses para ajudar a combater o escorbuto, doença que surge pela falta de vitamina C e que levou muitos homens à morte. Era bastante comum entre os marinheiros, que passavam meses em alto-mar sem ingerir verduras e frutas frescas, devido à dificuldade de armazenagem.
O limão também foi muito utilizado no Mediterrâneo de maneira ornamental em jardins islâmicos. Os egípcios do século XIV conheciam o limão. Ao longo da costa mediterrânea do Egito, as pessoas bebiam kashkab, uma bebida feita de cevada fermentada, folhas de hortelã, arruda, pimenta preta e limão.
Os limoeiros são árvores pequenas (não atingem mais de 6 metros de altura), espinescentes, muito ramificadas, de caule e ramos castanho-claros; as folhas são alternas, oblongo-elípticas, com pontuações translúcidas; as inflorescências são de flores axilares, alvas ou violeta, em cacho. Reproduz-se por estacas de galhos, em solo arenoso e bem adubado, de preferência em regiões de clima quente ou temperado.
Propaga-se também por sementes, que requerem solo leve, fértil e bem arejado, em local ensolarado e protegido dos ventos. Frutifica durante todo o ano, em inúmeras variedades, que, embora mudem no tamanho e na textura da casca, que pode ser lisa ou enrugada, quanto à cor, variam do verde-escuro ao amarelo-claro, exceto uma das espécies, que se assemelha a uma tangerina.
As suas aplicações na vida doméstica são inúmeras. Com o suco da fruta, sorvetes, molhos e aperitivos, bem como remédios, xaropes e produtos de limpeza. Da casca, retira-se uma essência aromática usada em perfumaria e no preparo de licores e sabões. Em fitoterapia, é utilizado para diversas patologias, tais como reumático, infecções e febres, aterosclerose, combate ateromas (remove placas gordurosas das artérias), constipações, gripes, dores de garganta, acidez gástrica e úrica (alcaliniza o sangue), frieiras, caspas, cicatrizações, ajuda a manutenção de colágeno, hemoglobina, atua como anti-séptico, entre outras.

Um comentário:

  1. Voce pode congelar um limão inteiro, lavado, com casca, dentro de um recipiente fechado. Deixa congelar. Quando quiser dar um sabor diferente na sua salada, ou carnes, frangos. Rala o limão no rala mais grosso (tipo queijo parmesão) e coloca na salada ou carne. Fica delicioso o sabor, Não arde. Coloca o limão na mesma embalagem (menos saco plástico) e leva ao congelador, Use quando precisar.

    ResponderExcluir