Google+ Badge

terça-feira, 1 de outubro de 2013

MELANCIA


CLASSIFICAÇÃO CIENTÍFICA: Reino: Plantae, Divisão: Magnoliophyta, Classe: Magnoliopsida, Ordem: Cucurbitales, Família: Cucurbitaceae, Gênero: Citrullus e Espécie: C. lanatus. 
Verão e melancia.  Uma combinação perfeita, já que a fruta é composta por 90% de água, o que a torna um hidrante natural e delicioso. Ideal para ser consumida nos dias mais quentes, ela ainda tem a vantagem de ser pouco calórica (cada 100 gramas apresenta apenas 32 calorias). A fruta traz muitos benefícios à saúde.
A melancia é um fruto de tamanho grande. Ela tem um formato arredondado com casca lisa na cor ver escura e clara (listras). É uma planta é rasteira e anual, com folhas triangulares e trilobuladas e flores pequenas e amareladas. Sua polpa é vermelha e suculenta. Apresenta várias sementes pretas e pequenas na parte interna. Uma melancia pesa, em média, de 5 a 10 quilos. Porém, dependendo das condições do solo, as melancias podem ultrapassar este peso.

Normalmente a melancia é cultivada em fileira de 8 a 12 metros de comprimento, em canteiros de 4 a 12 centímetros de altura, com terra arenosa e adubada. Mudas de melancia são cultivadas em viveiros e depois transplantadas para os canteiros. Em um mês, uma videira pode se espalhar por 2 ou 3 metros e em 60 dias, a videira produz as suas primeiras melancias.
É uma fruta rica em sais minerais (ferro, cálcio e fósforo), carboidratos e vitaminas (complexo B, A e C). Em função da grande quantidade de água, atua como um excelente diurético no corpo humano. Possui também propriedades digestivas. É uma fruta antioxidante, que contém licopeno, um caretonoide com poder antioxidante que previne câncer, especialmente o da próstata, segundo estudos. Uma pesquisa feita pela Universidade do Texas mostrou que ela possui uma quantidade de citrulina muito alta, o que a tornaria um "Viagra natural".  
Uma das qualidades da melancia é seu poder de saciedade. Ela pode favorecer quem quer emagrecer, em casos de dietas balanceadas e, em especial, se for adicionada uma colher de sopa de grão integral saciador como quinoa, amaranto ou linhaça, por exemplo, a uma porção de 200 gramas/ml.
A melancia é originária da África, presume-se que do deserto de Kalahari. O primeiro registro de colheita de melancia se deu há cerca de 5.000 anos, no Egito, como descrevem hieróglifos encontrados nas paredes de suas construções remotas. Ela foi levada, no século 10, para a China que é hoje o maior produtor e consumidor da fruta.

Trata-se de uma erva trepadeira e rastejante. É cultivada ou aparece espontaneamente em várias regiões do Brasil, geralmente em áreas secas e de solo arenoso. Os estados brasileiros que mais produzem este fruto são: São Paulo, Bahia e Rio Grande do Sul. O período de safra da melancia ocorre entre os meses de novembro a junho.
As primeiras melancias sem sementes foram desenvolvidas na década de 1960. Na verdade, quando dizemos “sem semente”, nos referimos às sementes maduras, as pretas. Provavelmente serão encontradas pequenas sementículas brancas, que são macias e que podem ser ingeridas sem nenhuma contraindicação.
As melancias sem sementes foram desenvolvidas partindo do cruzamento de cromossomos de uma espécie diploide (com o padrão de dois conjuntos de cromossomos) com uma espécie tetraploide (com quatro conjuntos de cromossomos), o que resulta em uma fruta que produz uma semente triploide (três conjuntos de cromossomos). E é exatamente a semente triploide que produz as melancias sem sementes.
Por muito tempo a melancia foi tratada apenas como uma fruta de verão, saborosa, refrescante, com muita água e nada mais. Hoje a melancia é considerada parte de uma dieta saudável para crianças, homens e mulheres, especialmente as grávidas. A melancia também é uma ótima fonte de potássio, mineral necessário para o equilíbrio de água encontrada dentro de cada célula.

Nenhum comentário:

Postar um comentário