Google+ Badge

quinta-feira, 24 de julho de 2014

TAPETE DE GRAMA


Nada chama tanto a nossa atenção quando chegamos em um local que possui um tapete de grama bem conservado e cuidado. O segredo de um tapete de grama verdejante está na frequência da rega, pois a falta ou o excesso de água é prejudicial. Em períodos de seca, pode-se molhá-la diariamente nos horários de menor incidência solar, ou seja, no início da manhã ou no final da tarde.
É extremamente importante escolher a espécie de gramínea adequada, levando em consideração a finalidade do espaço, o pisoteio, a luminosidade, o clima, o solo e a topografia. A poda é outro grande segredo para conseguir a aparência de tapete verde. O primeiro corte deverá ser feito 30 dias depois do plantio. Posteriormente, basta aparar a cada 15 dias. No Verão o procedimento pode acontecer semanalmente, dependendo do crescimento. Não se deve podar mais que 30% da altura da folha.

Antes de começar a plantar a grama, todos os resíduos do local a ser gramado, como por exemplo, entulhos, pedras, madeiras, pragas e ervas daninhas, devem ser removidos. Na adubação de pré-plantio para gramas, não é recomendada a utilização do nitrogênio, porque o efeito do nitrogênio dura pouco tempo no solo, e nesta fase a grama não terá condições ideias para absorvê-lo, porque ela ainda não está totalmente enraizada.
Na instalação dos primeiros rolos ou placas de grama, os profissionais deverão alinha-los de modo que estejam bem uniformes. Os formato de placas e tapetes, proporcionam facilidade na hora de plantar a grama.
Após plantar a grama, pulverize um pouco de terra em cima das folhas e rejunte as fissuras entre os tapetes com essa mesma terra. Utilize terra de boa qualidade e adubada. A cobertura com terra ajuda na retenção de umidade, acelera o processo de brotação e fixação da grama. A irrigação deve ser realizada simultaneamente com o plantio, ou seja, plante a grama durante o dia e irrigue sempre no final da tarde, dessa forma o gramado permanecerá úmido por mais tempo.
Após ter finalizado a etapa de posicionamento das placas, é hora de fechar os espaços entre os tapetes utilizando todas as placas quebradas de grama que foram separadas para o acabamento. Nessa altura o gramado estará pronto e o plantio compacto, uniforme, pronto para ser finalizado.

Para finalizar o serviço é preciso fazer uma cobertura com terra sobre toda a grama plantada. A cobertura consiste em fazer uma pequena e uniforme camada de terra entre as folhas da grama. Para encerrar o serviço realize uma boa irrigação sobre toda a grama plantada.
Mesmo com tanta atenção, a grama não está livre da ameaça de pragas e doenças. As mais comuns são as ervas daninhas, sobretudo, tiririca (Cyperus tuberosus) e barba-de-bode (Aristida Pallens). Outros seres nocivos são lagartas, formigas, besouros, fungos e bactérias. Por isso, é essencial ficar atento a qualquer modificação, como o surgimento de manchas arredondadas e folhas raspadas ou secas.

VARIEDADES
BATATAIS Nativa do Brasil, a grama-batatais (Paspalum notatum) possui inflorescência típica em forma de V ou forquilha que se eleva acima da planta. É resistente a pisadas, a seca e a solos pobres. Não aprecia sombra, mas pode crescer bem à meia-sombra. 
BERMUDAS As folhas estreitas e de coloração verde-intenso da grama-bermudas (Cynodon dactylon) são macias e tolerantes ao pisoteio. Tem crescimento rápido, boa regeneração, suporta seca e altas temperaturas e deve ser mantida a pleno sol.
ESMERALDA Originária do Japão, apresenta folhas estreitas e pequenas, que formam um tapete verde perfeito. A grama-esmeralda (Zoysia japonica) é apropriada para pleno sol e apresenta boa tolerância ao pisoteio. Deve ser cultivada em terra fértil. É a mais versátil, adaptando-se a praticamente todas as condições (inclusive, recintos esportivos), possui manutenção simples e não tolera sombreamento.
SÃO-CARLOS Nativa de região úmida, a grama-são-carlos (Axonopus compressus) é tolerante a baixas temperaturas, sendo recomendada para formação de gramado a pleno sol ou à meia-sombra. Necessita de irrigação periódica e solo fértil e bem preparado.
SANTO-AGOSTINHO A grama-de-santo-agostinho (Stenotaphrum secundatum) também ocorre na forma variegada, com folhagem verde-amarelada. Seu crescimento é moderado, não sendo indicada para pisoteio e local sombreado, mas resiste à salinidade do litoral.

Nenhum comentário:

Postar um comentário