Google+ Badge

sexta-feira, 17 de maio de 2013

OS CINCO JARDINS MAIS LINDOS DO MUNDO



“Me perguntas por que compro arroz e flores? Compro arroz para viver e flores para ter algo pelo que viver”. (Confúcio) Este artigo tem a finalidade de mostrar belíssimas paisagens em que talvez nunca teremos a oportunidade de estar pessoalmente, de relembrar locais onde já estivemos ou de ajudar quem está programando sua próxima viagem e deseja dicas de lugares inusitados e de rara beleza, fora dos roteiros tradicionais das agências de turismo. Que possamos nos deixar realmente levar até estes lugares e permitir que a nossa imaginação visualize e nos conduza até estes magníficos jardins e palácios, com seus magníficos espaços verdes, projetados pelos melhores paisagistas e arquitetos do mundo para serem alguns dos mais belos jardins do mundo, que carregam uma grande parte da história do mundo antigo e que além da beleza transmitem esperança, a beleza das cores de cada flor, a abundancia da natureza, o show das águas, a magia e o encantamento de viver com alegria e intensidade a vida!Quem não apreciaria estar em estar em contato com a natureza, com o meio ambiente em um lugar magnífico e cheio de significados? Sentindo a beleza das plantas, o contato com a natureza, mantendo contato com todos os elementos que compõem os jardins. Esses jardins estão em constantemente manutenção e seus melhores funcionários estão sempre trabalhando para melhorados, para que o número de visitas não cause nenhuma depredação. Conheça um pouco mais desses lindos jardins! 


PALÁCIO DE VERSALHES, FRANÇA (Chateau de Versailles)


Criados no século XVII, os Jardins de Versailles ocupam o mesmo nível de importância do famoso Palácio que os cerca. Ocupando 101 hectares, os jardins apresentam caminhos perfeitamente delineados, que levam aos mais variados tipos de flores, plantas, estátuas clássicas e lindos lagos ornamentais.Os Jardins de Versailles foram desenvolvidos ao longo da evolução do castelo, mas é considerado uma obra de arte de André Le Nôtre, que começou a trabalhar nesse projeto a partir de 1661. Com seus lagos, bosques, e estátuas, é o modelo por excelência de um jardim à la française, cuja definição mais simples “é a arte de corrigir a natureza com a imposição da simetria”. Quem fala em jardim francês, fala de simetria. Nesse tipo de jardim a ordem vence a desordem e a cultura vence a natureza selvagem. A natureza é organizada através da geometria, da ótica e das leis da perspectiva.A criação dos jardins de Versalhes exigiu uma enorme quantidade de trabalhadores Podemos encontrar em cada canto a figura de Apolo, o Deus do Sol, como metáfora à figura de Louis XIV, o Rei-Sol.Podemos não nos dar conta, mas quando analisamos a complexidade dos sistemas hidráulicos necessários já no século XVII para fazer funcionar todas essas fontes que foram e ainda são uma das principais maravilhas dos jardins, então percebemos a grandiosidade da obra. Muito da fama dos Jardins de Versalhes vem de seu magnífico Palácio, mas, o Chateau não teria todo o seu sucesso sem seu magnífico projeto paisagístico. O Jardim se estende por 80 hectares, propício às caminhadas a pé, de bicicleta e passeios de barco. Os Jardins são abertos todos os dias e a entrada é gratuita. O eixo central dos jardins de Versalhes é o Grand Canal, de 1,7 km de comprimento, que foi elaborado para refletir o sol poente. Ao seu redor ficam plantações, canteiros, alamedas e lagos, isso sem falar das fontes, outra referência à glória do Rei Sol.










Nenhum comentário:

Postar um comentário