Google+ Badge

terça-feira, 13 de agosto de 2013

UVAS


Mesmo em um terreno pequeno dá para ter uma bela videira em casa. Além dos frutos, que são maravilhosos, é uma  planta ornamental que pode ser cultivada em
vaso desde que tenha, no mínimo, 40 cm de diâmetro, e uma treliça. O cultivo de uvas em casa não é uma tarefa fácil. Você precisa estar familiarizado com as técnicas de plantio e ter paciência porque o cultivo é demorado. Mas se você quer ter uvas para seu próprio uso, melhor aprender a cuidar das suas deliciosas uvas.
É preciso saber que todos os tipos de uvas necessitam de uma condição especial para crescer, e há alguns tipos adequados somente para uso específico. Algumas espécies de uvas podem suportar invernos rigorosos, outros não. Alguns precisam de muito espaço para o crescimento de raízes, outros não. Verifique seu quintal, se ele tem uma área suficiente para o plantio. As três coisas importantes que você deve ter no seu quintal são luz solar direta, resistência do ar e sistema de drenagem. A planta apresenta boa adaptação em regiões com temperaturas de 15 a 30 graus.
É necessário cavar um buraco profundo o suficiente para as raízes, colocar a planta e por cima a terra. Separe cada muda de oito a dez metros de distância. Regue com frequência durante o primeiro mês para ajudar as videiras se estabelecer no solo. O solo deve ser leve, profundo, sem a presença de rochas grandes e camadas impermeáveis de argila, e com boa drenagem.
O próximo passo é treinar a videira para crescer em uma treliça. Quando a planta atinge a primeira treliça, deve-se aponta-la para cima. Leva algum tempo para treinar a uva. A videira precisa de podas de formação e de produção. A de formação é executada desde o plantio da muda até a planta ganhar o tamanho e o formato desejados.
A poda serve para manter o equilíbrio entre a vegetação e a frutificação. Faça anualmente, quando a planta estiver no período de repouso, ou quando surgirem os primeiros brotos nas pontas dos ramos. A poda da parreira é feita na época da dormência da planta, o que ocorre no inverno, pouco antes da brotação e quando ainda não há folhas.
A escolha da poda, entre os diversos tipos que existem, depende principalmente da espécie cultivada e da região. De maneira geral, nas uvas americanas ou híbridas, como bordô, isabel, niágara branca, niágara rosada e concord, é feita a poda mista, na qual são deixadas alternadas varas (ramos mais longos, com seis a sete gemas) e esporões (ramos curtos, com até duas gemas). Se a parreira for vigorosa, mais varas podem ser deixadas.
A poda na lua minguante influencia as raízes, porque não ocorre vazamento de seifa, coisa que acontece em outras luas com maior ou menor intensidade. Aproveite também para cuidar do tronco da parreira, limpando fungos, musgo e outros. 
A época da poda depende de vários fatores, entre os quais o tamanho do vinhedo, a topografia do terreno, concorrência com outras atividades na propriedade, umidade do solo e objetivos da produção.
Nas regiões expostas a geadas tardias poda-se tarde, quando as gemas das extremidades dos sarmentos já estão brotadas; nos climas temperados, durante o inverno; e podam-se tarde as videiras vigorosas e cedo, as fracas. As podas excessivamente precoces ou demasiadamente tardias são debilitantes para a videira e retardam a brotação.
Geralmente a colheita inicia-se após o terceiro ano da uva. Não se deve colher cedo demais, ou você terá uma uva azeda. O cultivo de uvas em casa pode levar anos de trabalho persistente. Mas com os cuidados apropriados com as videiras, as uvas terão sabores doces e incríveis.
Para garantir a qualidade das uvas, compre mudas de produtores confiáveis. Variedades comuns, como niágaras e isabel, podem ser propagadas por estacas da própria cultivar, sem precisar de enxertia. Além disso, elas são menos sensíveis às pragas e doenças e mais adequadas a pequenos espaços.
Existem dois períodos indicados para o plantio. Se a muda for um enxerto de raiz nua, a melhor época é de julho a agosto. Se for muda de torrão, pode ser feito em qualquer época, desde que seja possível irrigar. Caso contrário, a época recomendada ao cultivo é de outubro a dezembro.
Mesmo sendo considerada uma cultura de clima temperado, a videira apresenta ampla adaptação climática. Apresenta melhor desenvolvimento em regiões de clima mediterrâneo, sendo, verões secos e quentes, e invernos frios e chuvosos.
A videira é uma planta sarmentosa, sendo a fruta mais produzida no mundo. Pertence à família Vitaceae e ao gênero Vitis, se apresentando em espécies diversas, destacando-se a vitis vinífera, que produz frutos apropriados à produção de vinho, de origem europeia – e a vitis labrusca e outras, adequadas para servir de porta-enxerto ou para produzir uvas de mesa, sendo originárias da América do Norte.
Do volume total de uvas produzido no mundo, cerca de 80% é usado no fabrico de vinhos e outras bebidas alcoólicas, 10% para o consumo como fruta fresca, 5% no fabrico de uvas passas e 5% para fabricação de sucos. No Brasil, cultiva-se em torno de 70.000 hectares, sendo mais da metade no Rio Grande do Sul, principalmente na exploração de uva para processamento.
A videira necessita de um período de repouso hibernal para desenvolvimento adequado, crescimento vegetativo vigoroso e boa frutificação. O repouso é induzido por condições de baixas temperaturas nas regiões de clima subtropical e temperado, e por déficit hídrico em regiões de clima tropical semi-árido.
Os defensivos químicos somente devem ser utilizados em situações de necessidade comprovada, quando a praga ou doença estiver em níveis de dano econômico, com o máximo de segurança para o aplicador, o consumidor final e o meio-ambiente. Como ocorre a frutificação, é natural, com a presença de abelhas ou inseto polinizador, então a videira se vê beneficiada pela atuação das abelhas como insetos polinizadores.
As uvas possuem diversas propriedades benéficas à saúde. Elas protegem o sistema circulatório e o coração; têm propriedades antioxidantes, o que significa que impedem a ação de radicais livres no organismo; apresentam características antiinflamatórias; inibem a aglomeração das plaquetas sanguíneas, reduzindo os riscos de ocorrência de infartos e derrames; além de impedir alguns processos desencadeadores do câncer. A fruta ainda é boa fonte de vitamina C e do complexo B, rica em minerais como magnésio, enxofre, ferro, cálcio e fósforo.

Um comentário:

  1. Olá bom dia não sei se esse blog ainda está em atividade gostaria de obter resposta por email felipedeolive@gmail.com

    Gostei muito do arquivo muito enriquecidor.

    Tenho uma videira em minha casa muito adaptada ao clima daqui, estou falando dos 40 e 45c° do centro RJ... posso identificar que as épocas de frutificação e colheita é se diferem muito da maioria das outras regiões, com base em pesquisas, porém estou com uma dificuldade em amadurecimento das bagas cada uva amadurece em períodos de dias bem distintos fazendo assim, com que o cacho não amadureça de uma só vez existe algo que poça ser feito para ter um cacho mais uniforme?
    pq se esperar as últimas uvas amadurecer as primeiras ou caem, secam ou até mesmo estragam

    ResponderExcluir