Google+ Badge

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

MARACUJÁ


O maracujá, cientificamente chamada Passiflora alata Dryand, é conhecido popularmente também como passiflora ou flor da paixão.
O maracujazeiro é originário da América Tropical, com mais de 150 espécies de Passifloraceas utilizadas para consumo humano. As espécies mais cultivadas no Brasil são o maracujá-amarelo (Passiflora edulisfflavicarpa), maracujá-roxo (Passiflora edulis) e o maracujá-doce (Passiflora alata). O maracujá-amarelo é o mais cultivado no mundo, responsável por mais de 95% da produção do Brasil e utilizado principalmente no preparo de sucos. O maracujá-doce é destinado para o mercado de fruta fresca, devido a sua baixa acidez.
CLASSIFICAÇÃO CIENTÍFICA: reino: Plantae, divisão: Magnoliophyta, classe: Magnoliopsida, ordem: Malpighiales, família: Passifloraceae, gênero: Passiflora e Espécie: P. edulis. O Brasil é o maior produtor mundial com produção de 330 mil toneladas e área de aproximadamente 33 mil hectares. (IBGE, 2002).
O maracujazeiro é uma planta de clima tropical e subtropical, com temperatura média entre 25º a 26º C, precipitação pluviométrica ideal entre 1.200 a 1.400 mm distribuída ao longo do ano. Os solos mais recomendados são os areno-argilosos, profundos, férteis, bem drenados, pH entre 5,0 e 6,5 e altitude entre 100 e 900 m com topografia plana a ligeiramente ondulada.
Considerando que o maracujazeiro só floresce em condições de muita luminosidade, acima de 11 horas diárias, em diversas regiões tem-se recomendado plantios nos meses de abril e junho permitindo assim um crescimento vegetativo durante o período de inverno com floração a partir de setembro e início de colheita em novembro.
As mudas para plantio devem apresentar de 25 a 30 cm de altura. O preparo das mudas deve começar 60 dias antes do plantio definitivo. As mudas são plantadas em covas de 40 x 40 x 40 cm abertas entre a linha das estacas e previamente adubadas. Entre as linhas de plantio os espaçamentos recomendados variam de 2,0 a 3,5 metros. Completa-se a espaldeira com a colocação de um arame nº 12 ou 14 preso no topo dos mourões.
O maracujazeiro é uma planta dependente de polinização cruzada, ou seja, uma planta de maracujá não produz se as flores não forem polinizadas com pólen de outra planta. A polinização manual é feita nos períodos de maior floração utilizando-se dedeiras de flanela e tocando-se de leve e ligeiramente as flores de plantas alternadas.
O período de colheita dos frutos varia de 6 a 9 meses após o plantio. O ponto de colheita é caracterizado pela coleta dos frutos no chão; antes da coleta deve-se efetuar passagem entre as filas e derrubar os frutos maduros que não caíram ou ficaram presos entre os ramos da planta.
A coleta de frutos é feita de 2 a 3 vezes por semana. Após a colheita os frutos perdem peso rapidamente à medida que permanecem no chão ficam murchos dificultando a comercialização.
O maracujá possui um formato arredondado e sua casca, na fase madura, apresenta-se na cor amarela. Junto com a polpa, também de cor amarela, encontra-se uma grande quantidade de caroços (sementes). É uma excelente fonte de vitaminas A, C e do complexo B. Além disso, apresenta significante quantidade de sais minerais (ferro, sódio, cálcio e fósforo).
O maracujá chegou ao mercado com a fama de ter o poder de baixar as taxas de açúcar no sangue, o que é ótimo para quem tem diabetes. Mas, aos poucos, a farinha feita com a casca do maracujá também se revelou um excelente bloqueador de gordura. Ou seja, impede que o organismo absorva parte desse nutriente presente nos alimentos. Cada 100 gramas de maracujá apresenta, aproximadamente, 70 calorias.
A substância responsável pelo poder emagrecedor é a pectina, encontrada em grande quantidade na parte branca da casca da fruta. A farinha não fica atrás: tem 20% dessa fibra. No estômago, a pectina se transforma numa espécie de gel não digerível, provocando sensação de saciedade. Com isso, você se sente bem alimentado com uma porção menor de comida. A pectina também reduz a velocidade com que o açúcar entra no sangue.
Outro benefício do maracujá é que a fibra presente na farinha de maracujá promove uma faxina no organismo. Ela ajuda a eliminar as toxinas, que, acumuladas, prejudicam o funcionamento dos órgãos e, com isso, desequilibram o metabolismo – o que faz a dieta emperrar.
Tem como propriedade ação sedativa ou ansiolítica; antiespasmódica; diurética; analgésica. Serve para tratar a irritabilidade; ansiedade; insônia; taquicardia; vertigens; hipertensão arterial; palpitações; transtornos nervosos principalmente em jovens; nevralgias; asma; dispepsia nervosa; cólicas intestinais; dismenorreias espasmódicas e perturbações nervosas da menopausa; dores de cabeça; enxaqueca; dores musculares.

Nenhum comentário:

Postar um comentário