Google+ Badge

terça-feira, 30 de abril de 2013

CAMÉLIAS - FLORES DE INVERNO







 "Todo jardim começa com uma história de amor, antes que qualquer árvore seja plantada ou um lago construído é preciso que eles tenham nascido dentro da alma. Quem não planta jardim por dentro, não planta jardins por fora e nem passeia por eles”.
(Rubem Alves)

A Camellia é uma planta especial por diversos motivos: é um arbusto formado por uma folhagem brilhante que se mantém firme o ano todo e, nos meses que correspondem ao outono e inverno, cobre-se de uma floração espetacular. As flores, exuberantes, serviram de inspiração para a criação de “A Dama das Camélias”, livro de Alexandre Dumas Filho. Dependendo da variedade, as flores da camélia podem ser brancas, rosadas ou vermelhas e servem tanto para enfeitar o jardim como decorar ambientes internos.
Camellia L. é um género de plantas da família das Theaceae e que produzem belíssimas flores conhecidas como camélias. O género Camellia inclui muitas plantas ornamentais e plantas de chá. Algumas espécies deste gênero pertenciam ao gênero Thea, mas este conceito foi sincronizado com Camellia quando se observou que as Camellia e Thea não apresentavam qualquer diferença significativa entre si.
As Camélias apresentam aproximadamente 80 tipos de espécies nativas das florestas da Índia, Sudeste Asiático, China e Japão. São árvores de porte médio, suas folhas são coriáceas (quando a sua textura é semelhante a couro e se quebram facilmente), escuras, lustrosas, com bordas serrilhadas ou denteadas.
Apresentam flores lindas e de cores variadas. Algumas espécies são tão grandes quanto à palma da mão de uma pessoa adulta, outras tão pequenas quanto uma moeda. Exalam um perfume suave. Os frutos são cápsulas globosas, que podem variar de tamanho.
Algumas espécies, como C. japonica, C. sasanqua, C. reticulata, e C. chrysantha, são cultivadas por suas belas e grandes flores, folhagem densa, escura e lustrosa, e porte baixo. Estas e outras espécies são intercruzadas para a obtenção de híbridos que reúnem suas melhores qualidades. Também pertence a este gênero a C. sinensis, espécie de cujas folhas se obtém o chá, e cujo comércio movimenta bilhões de dólares todos os anos. Outras produzem um óleo em suas sementes, aproveitado como combustível.
As formas mais comerciais são as flores grandes, com muitas pétalas de cores fortes que variam do branco ao vermelho, com algumas variedades manchadas. As camélias amarelas são raras. Não há camélias azuis, mas pesquisadores descobriram pigmentos azuis em algumas espécies e atualmente estão tentando isolá-los através de cruzamentos.
Curiosamente, a Itália, desde o século XIX, afronta os países tradicionalmente produtores na produção de variedades comerciais, sendo um dos líderes na sua produção no ocidente. Ao todo, existem mais de 3000 tipos diferentes de camélias somente entre as obtidas da espécie C. japonica, somando-se a um número total mais alto, com estimativas entre 5000 e 8000 variedades.
A arte de criar arranjos florais associados à filosofia e tradição japonesa - conhecida como Ikebana - faz muito uso das folhas e flores da camélia.



Nome científico: Camellia japônica
Família: Teáceas
Origem: Asiática, principalmente das regiões do Japão e Coréia
Características: Arbusto que conserva sua folhagem sempre-verde durante o ano todo. Produz flores isoladas, de incrível beleza nas cores branca, rosa e vermelha.
Época de floração: outono e inverno
Cultivo: O clima ideal para o cultivo é o ameno, pois a planta não se adapta bem a temperaturas elevadas. No entanto, a camélia é bem resistente ao frio, inclusive às geadas. Pode ser cultivada à meia-sombra desde que receba luz solar direta algumas horas por dia. As regas devem ser frequentes nos primeiros meses após o plantio da muda e, depois, podem ser espaçadas, evitando o encharcamento do solo.
Podas: Para manter um visual equilibrado, principalmente na camélia cultivada em um jardim, recomenda-se uma poda de formação, após o término da floração.

Dicas: Para afastar pulgões, ferver algumas folhas de arruda, coar e diluir em um pouco de água. Borrifar nas folhas e brotos atacados. O chá feito com folhas de losna combate pulgões e também cochonilhas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário