Google+ Badge

segunda-feira, 18 de março de 2013

TULIPEIRAS, UM PRESENTES DO UNIVERSO

  07 ÁRVORES EXCEPCIONAIS – TULIPEIRAS, UM PRESENTES DO UNIVERSO


A tulipeira é uma árvore que floresce praticamente o ano todo, preferencialmente em regiões de clima quente e úmido. Suporta o solo mais seco, podendo ser regada apenas uma vez por semana durante o seu crescimento. Prefere solo arenoso ou bem drenado, que não acumule água em excesso. A árvore é muito ornamental e a floração bem exuberante. A floração é similiar as tulipas, daí ser conhecida como árvore tulipeira.

Conhecida pelos nomes populares de Árvore de Bisnaga, Tulipeira, Espatódea, Tulipeira-africana ou Chama-da-floresta, cujo nome científico é Spathodea campanulata, é uma planta da família das Bignoniaceae, originária da região EquatorialSubtropicalTropical, nativa da África, mas que muitas vezes é plantada em áreas urbanas. As flores podem ser um pouco irritantes, mas a árvore em si tem uma forma muito bonita.

A árvore tem o potencial de se tornar uma espécie invasora, com grandes florações alaranjadas. As sementes dessa espécie também são polinizadas por morcegos e seu ciclo de vida é perene. É uma árvore de copa densa e muito rústica, indicada para espaços que requerem árvores de rápido crescimento, como em parques e jardins públicos. Não devem ser plantadas em calçadas ou próximas a construções e tubulações, pois suas raízes são muito agressivas.

É uma árvore de crescimento rápido e efeito muito ornamental. Seu porte é médio, podendo atingir 24 metros. Na África, pode-se observar exemplares com até 30 metros de altura. O tronco apresenta um diâmetro de 30 a 50 cm, a madeira é clara e mole e a casca fina e suberosa. As folhas são grandes, opostas e são compostas por numerosos folíolos alongados e oval-lanceolados.

A primeira floração ocorre quando a árvore apresenta apenas 3 a 4 anos. As flores são vermelho-alaranjadas ou amarelas, de acordo com a variedade, com botões numerosos que abrem-se sucessivamente, garantindo uma longa floração. O período de floração varia com a localidade onde a planta se encontra. Os frutos se assemelham a vagens e contém numerosas sementes aladas, que se dispersam com o vento.

Sua beleza é evidenciada quando plantada isolada em extensos gramados bem cuidados. Apesar de as flores serem vistosas, tubulares de pétalas recortadas, na cor alaranjada com interior vermelhado, com cálice em ocre escuro atraírem abelhas e beija-flores, elas são consideradas venenosas para estes e outros animais, por possuírem elementos tóxicos. Devem ser cultivadas sob pleno sol, em solo fértil, bem drenado, e enriquecido com matéria orgânica.  

No plantio da muda, deve-se fazer um buraco maior que o torrão. Misturar adubo animal de curral, cerca de 1 kg com composto orgânico. Colocar também 200 gramas de adubo granulado NPK formulação 10-10-10 e 100 gramas de farinha de ossos. Misturar tudo muito bem. Colocar parte no fundo da cova, colocar o torrão e completar com a mistura. Colocar um tutor de sarrafo, amarrando com corda de algodão, em forma de oito de forma a não estrangular o caule. Regar bem.

Após algum tempo você notará que as gemas estão começando a se desenvolver, sinal que já houve a emissão de raízes. Transple então para recipientes com substrato semelhante ao que é o recomendado para plantio, regando bem e mantendo sob cultivo protegido.

A multiplicação com sementes também pode ser feita. Usar terra comum de canteiro em caixotes ou direto em sacos de cultivo. Materiais descartáveis, como caixas de leite longa vida são excelentes para sementeiras de árvores, corte dois cantos no fundo da caixa para a saída das águas de regas. São vistosas, tubulares de pétalas recortadas, na cor alaranjada com interior vermelhado, com cálice em ocre escuro levemente pubescentes

Nenhum comentário:

Postar um comentário